Segunda, 15 de Agosto de 2022

ESCOLAS MUNICIPAIS DE SETE BARRAS REALIZAM PROJETOS PEDAGÓGICOS COM INTUITO DE RECUPERAR APRENDIZAGENS NO RETORNO PRESENCIAL

A pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) trouxe às Redes Municipais de Ensino, inúmeros desafios. Durante o ano de 2020 os alunos das escolas municipais de Sete Barras participaram do formato do Ensino Remoto com aulas remotas, entrega de atividades nas escolas, e com atividades complementares através da Plataforma Educacional Educa Fácil.

Neste ano de 2021, cumprindo todos os protocolos sanitários e, investindo em estrutura tecnológica (ampliação da rede de internet em escolas municipais, urbanas e rurais, disponibilizando computadores em cada sala de aula, para auxílio no trabalho pedagógico do Ensino Híbrido, aulas presenciais e remotas), a Secretaria Municipal de Educação e Prefeitura Municipal de Sete Barras não pouparam esforços por um retorno seguro e com foco nas necessidades dos alunos.

No 1º Semestre/2021 foram realizadas diversas formas de avaliação ao aluno, sendo elas de acordo com a Proposta de Ensino Híbrido (aulas presenciais e remotas) para diagnosticar como estava o termômetro da aprendizagem dos alunos da Rede Municipal. A Secretária da Educação, senhora Tania Maria Fudalli Florêncio juntamente com a equipe técnica e pedagógica da Secretaria da Educação percorreram por todas as escolas para ouvir as angústias dos professores e gestores, quanto à defasagem da aprendizagem dos alunos. E foi então que surgiu a ideia do retorno do recesso de Julho/2021 com o desenvolvimento de Projetos Dinâmicos, com foco nas habilidades essenciais de cada ano/série de trabalho. Diante do levantamento de dados apresentados à Secretaria da Educação, o 1º Semestre/2021 foi encerrado com uma grande preocupação da Secretária da Educação Tania, de toda equipe de gestores e professores, com o intuito de retornar no 2º Semestre/2021 com o compromisso firmado de elevar a autonomia e a autoestima dos alunos quanto à defasagem da aprendizagem, de acordo com as habilidades essenciais. A justificativa geral, com referência para as reorganizações em projetos, refere-se à elaboração de ações onde a equipe escolar reforça as dificuldades que os alunos carregam devido ao distanciamento escolar causado pela Pandemia Covid-19, além das diferenças individuais cognitivas, da necessidade de estratégias pontuais. Respeitando o Artigo 23 da Lei 9.394, de 20/12/1996-Lei de Diretrizes de Bases da Educação Nacional - LDB, o qual estabelece que a Educação básica poderá organizar-se em séries anuais, períodos semestrais, ciclos, alternância regular de períodos de estudos, grupos não-seriados, com base na idade, na competência e em outros critérios, ou por forma diversa de organização, sempre que o interesse do processo aprendizagem assim o recomendar. Desta forma, a equipe docente e gestora das Unidades Escolares municipais, em comum acordo, diante das necessidades de uma readequação de maneiras de se intensificar um trabalho baseado na recuperação e aprofundamento para a garantia das habilidades essenciais dos alunos, através de um continuum pedagógico, elaboraram e executaram as seguintes propostas: Projeto de Atendimento Intensivo-2021 da Escola EMEF Profª Elvira de Melo Souza (1º ao 5º ano); Projeto Arco-íris do Saber da Escola EMEF Prof. Durval de Castro e vinculadas EMEIF Carlos Rodrigues e EMEIF Governador Armando Salles de Oliveira (1º ao 5º ano); Projeto “O despertar dos filhotes”- Readequação por hipóteses de leitura e escrita (1º ao 5º ano) e Projeto “Papaléguas” (6º ao 9º ano) da EMEF Marechal Cordeiro de Farias; Os professores e gestores da EMEF Profª. Elvira de Melo Souza com o Projeto de Atendimento Intensivo-2021 optaram em continuar com o grupo A e B (50% dos alunos por dia, em dias intercalados) e um terceiro grupo C para toda sexta-feira, o qual seria composto pelos alunos dos grupos A e B, que demandassem mais tempo para reforçar a aprendizagem, seria esse como um grupo de recuperação intensiva. Os professores readaptados também se prontificaram na entrega das atividades escolares aos pais ou responsáveis, dos quais os alunos se encontram em aulas remotas e também para reforçar individualmente os estudos dos alunos que demandassem uma maior atenção na aprendizagem, com foco em aulas práticas e lúdicas. A Diretora da escola ficou responsável no acompanhamento e monitoramento dos alunos que estudam no 1º ano da escola. A coordenadora pedagógica ficou responsável no acompanhamento e monitoramento dos alunos que estudam do 2º ao 5º ano da escola. Os demais funcionários também se colocaram à disposição para auxiliar nos Projetos. O projeto tem proporcionado a todos os alunos que participam avanços significativos, possíveis também devido ao engajamento e dedicação de toda equipe escolar e AEE, visto que o projeto teve seu início em meados de agosto desse ano. Os professores e gestores da EMEF Prof. Durval de Castro com o Projeto ARCO-ÍRIS Do Saber optaram em continuar com o grupo A e B (50% dos alunos por dia, em dias intercalados). A dinâmica da proposta buscou a metodologia onde cada sala foi identificada por uma cor específica, os alunos foram agrupados por hipóteses de escrita e dificuldades de aprendizagem, além de primar por um trabalho desenvolvido com aulas práticas e lúdicas, organizados em dois Ciclos: período da manhã e período da tarde. O intercâmbio entre as turmas, com a colaboração da professora do AEE, professor readaptado auxiliou individualmente os estudos, onde os professores realizaram o atendimento com revezamento do componente curricular. Hoje dos alunos presenciais, observa-se que mais de 50% desses alunos, já apresentaram avanços consideráveis, frente às situações iniciais, aspecto relevante, visto que o projeto teve seu início em meados de agosto desse ano. Os professores consideram que o projeto está sendo desenvolvido dentro das expectativas esperadas, porém reconhecem que ainda há muito que fazer para a recuperação das perdas de aprendizagens dos alunos, devido à pandemia, no entanto, também consideram que é o momento da escola e família se unirem nessa grande empreitada da educação. A equipe tem dedicado-se a execução do projeto, reavaliando as intervenções sempre que necessário. Os professores e gestores da EMEF Marechal Cordeiro de Farias organizaram e executaram o Projeto “O Despertar dos Filhotes” – readequação por hipóteses de leitura e escrita, com os alunos dos 1º ao 5º Anos.

O objetivo da proposta da Unidade é garantir contextos de aprendizagens direcionados às consequências geradas pela pandemia e ensino remoto, ajustando as práticas de ensino e os materiais de apoio ao aluno. A organização elaborada e executada visa uma evolução não somente por ano, mas também no aluno, em suas habilidades socioemocionais, sendo a divisão pensada em turmas temáticas, com nomes de animais: Turma Grilo e Turma Abelha – alunos em hipótese pré-silábica; Turma Camaleão – alunos em hipótese silábico sem valor sonoro; Turma Esquilo – alunos em hipótese com valor sonoro; Turma Gato – alunos em hipóteses silábico alfabéticos; Turma Raposa – alunos em hipótese alfabética, que fazem leitura de palavras simples, sem leitura autônoma de pequenos textos e iniciantes na produção escrita de pequenos textos; além da Turma Cachorro com alunos em nível de 4º ano e Turma Onça, com alunos em nível de 5º ano. Os professores apostam no trabalho com material temático e manipulativo, visando intervenções orais e escritas pela recuperação de habilidades na base de alfabetização, em Língua Portuguesa e Matemática, e na realização de sondagens a cada duas semanas da realização das propostas, o que determina a rotatividade dos alunos nas turmas. De todos os alunos que iniciaram o Projeto nas hipóteses pré-silábica, todos avançaram em suas hipóteses, e uma vez que houve esse avanço, as salas Grilo e Abelha já não são mais necessárias, e o grupo de professores e coordenação pedagógica criou outras salas com nomes de outros animais. Os profissionais exaltam o sucesso do trabalho desenvolvido, visto que o projeto teve seu início em meados de agosto desse ano, onde a dinâmica coopera para um aprendizado significativo e de encontro com as necessidades de todos os alunos. Quanto ao Projeto Papaléguas, direcionado aos alunos do 6º ao 9º anos, a EMEF Marechal Cordeiro de Farias, ofertou um trabalho com foco na Língua Portuguesa e na Matemática, com foco nos alunos do 9º ano visto que são alunos que estão encerrando o ciclo do Fundamental 2 que apresentam dificuldades de aprendizagem acumuladas e agravadas pela ausência de aulas presenciais durante a pandemia, melhores condições para que tenham acesso ao conhecimento linguístico e matemático, através de intervenções pedagógicas, respeitando as diferenças, para proporcionar mais proficiência dos alunos. Fatores como dedicação do grupo de professores, planejamento e retroalimentação das ações e sondagens periódicas são os fatores que embasam o sucesso dos Projetos realizados na Unidade Escolar.

https://www.instagram.com/prefeituradesetebarras/

https://www.facebook.com/prefeituramunicipaldesetebarrasgestao2021

162 acessos a esta notícia até o momento.
Não disponível!

Deixe um Comentário

Tamanho da fonte: Imprimir: